GLOSSÁRIO LOGÍSTICO (G)

| A | B | C | D | E | F | G | H | I | J | K | L | M | N | O | P | Q | R | S | T | U | V | W | X | Y | Z |

GAIN SHARING
veja PARTICIPAÇÃO DOS GANHOS

GANTT CHART
veja GRÁFICO DE GANTT

GARGALO (BOTTLENECK)
Instalação, função, departamento ou recurso que impede a produção pois sua capacidade é inferior ou idêntica à demanda. Ocorrem, então, grandes filas na frente deste centro de trabalho. Um recurso é considerado um gargalo quando a exigência sobre ele é maior ou igual a sua demanda máxima.

GATEWAY (GATEWAY)
Ponto de troca de mercadoria (em transporte). Ponto em que a carga passa para outro transportador ou modo de transporte.
Acesso, entrada.

GENERAL CARGO
veja CARGA GERAL (EM TRANSPORTE AÉREO)

GERENCIAMENTO DA CADEIA DE ABASTECIMENTO (SUPPLY CHAIN MANAGEMENT - SCM)
Um processo de integração que combina as funções da logística clássica de distribuição física e o gerenciamento de materiais com a compra de matérias-primas e/ou componentes, tecnologia de informações e funções de planejamento estratégico. Abordagem integral que envolve questões fundamentais relacionadas à cadeia de abastecimento como estratégias funcionais, estrutura organizacional, tomada de decisão, administração de recursos, funções de apoio, sistemas e procedimentos.

GERENCIAMENTO DA DEMANDA (DEMAND MANAGEMENT)
Função de controle e gestão de toda a demanda dos produtos para assegurar que o planejamento mestre seja cumprido. Compreende as atividades de previsão, entrada de pedidos, compromisso de entrega, necessidade dos armazéns, pedidos entre plantas e necessidades de reposição.

GERENCIAMENTO DE CATEGORIAS (CATEGORY MANAGEMENT)
A administração de categorias de produtos como unidades estratégicas, unidades de negócio.

GERENCIAMENTO DO CONHECIMENTO (KNOWLEDGE MANAGEMENT)
Refere-se aos esforços para a gestão do conhecimento dentro da organização. Tais esforços são frequentemente centrados na Tecnologia da Informação. Deve haver uma disseminação do conhecimento como uma novidade, mas o conceito tem um valor na cadeia de abastecimento através de múltiplos empreendimentos.

GERENCIAMENTO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE (CUSTOMER RELATIONSHIP MANAGEMENT - CRM)
É a arte de integrar todos os aspectos da tecnologia da informação em beneficio de um completo relacionamento com o cliente, desde atividades de marketing e vendas até contas a receber. Esse modelo de negócios centrado no cliente também é identificado pelos nomes marketing de relacionamento, marketing em tempo real, intimidade com o cliente, e uma variedade de outros. Mas a idéia é a mesma: estabelecer relacionamento com os clientes de forma individual e depois usar as informações coletadas para tratar clientes diferentes de maneira diferente. O intercâmbio entre um cliente e a empresa torna-se mutuamente benéfico, uma vez que os clientes oferecem informações em retribuição aos serviços personalizados que atendem às suas necessidades individuais.

GERENCIAMENTO DO TRÁFEGO (TRAFFIC MANAGEMENT)
A seleção dos modos de transportes e os específicos carregamentos dentro destes modos.

GESTÃO DA CAPACIDADE (CAPACITY MANAGEMENT)
É a função de estabelecer, medir, monitorar e ajustar os limites ou niveis de capacidade com o objetivo de executar os programas de fabricação e decidir sobre os planos de produção, MPS, MRP e lista de prioridades. A gestão da capacidade é executada em quatro niveis: planejamento de recursos, planejamento preliminar da capacidade, planejamento das necessidades de capacidade, além do controle das entradas e saldas.

GESTÃO DE ESTOQUE AGREGADO (AGGREGATE INVENTORY MANAGEMENT)
Estabelecer os níveis globais de estoque desejados e implementar controles para assegurar que as decisões individuais de reabastecimento atinjam esta meta.

GESTÃO DE INVENTÁRIO (INVENTORY MANAGEMENT)
O processo que assegura a disponibilidade de produtos através da atividade de administração do inventário tais como planejamento, posicionamento do estoque, e monitoração da idade dos produtos.

GESTÃO DO PULMÃO (BUFFER MANAGEMENT)
Uma técnica utilizada para gerenciar a proteção necessária e o processo de materiais dentro de uma fábrica.

GIRO DE INVENTÁRIO (INVENTORY  URNS)
O número de vezes que o inventário movimenta durante o ano. Uma forma de calcular os giros de estoque é dividir a demanda anual de uma peça (ou peças) pelo volume da peça atualmente em um armazém, no chão de fábrica ou em outro estoque. Por exemplo: um custo médio de vendas de $20 milhões dividido entre um inventário médio de $2 milhões, significa que temos uma rotação de inventário de 10 vezes ao ano.

GIROS DE ESTOQUES EM UMA CADEIA DE ABASTECI-MENTO TOTAL  (TOTAL SUPPLY CHAIN INVENTORY TURNS)
Total de unidades vendidas por ano dividida pela média das unidades dos produtos acabados nas mão dos fabricantes e distribuidores dentro de uma cadeia de fornecimentos, incluindo as prateleiras das lojas.

GMP - GOOD MANUFACTURING PRACTICES
veja BOAS PRÁTICAS DE MANUFATURA

GOODWILL
Um dos valores intangíveis além do valor líquido que uma empresa adquire dos fornecedores e clientes. É promovida gerando mais negócios em troca de bom serviço, previsões e planos de compartilhamento, trabalhar junto para solucionar problemas, desenvolvimento e pesquisa mútua, e outros.

GRÁFICO DE GANTT (GANTT CHART)
Forma de visualizar o cronograma, que permite apresentar a evolução do projeto em um gráfico de barras.

GRÁFICO DE PARETO (PARETO CHART)
Ferramenta simples para classificação de causas como mais ou menos significativas O princípio de Pareto integra as sete ferramentas da qualidade e sugere que a maioria dos efeitos derivam de um número relativamente pequeno de causas. Veja também Princípio de Pareto.

GRAU DE PENETRAÇÃO DOS PEDIDOS DE CLIENTES (DEPTH OF PENETRATION OF THE CUSTOMER ORDER)
Indicação do nível de penetração do pedido do cliente na cadeia organizacional. Geralmente termina em um ponto de armazenagem.

GRAVITY LIVE STORAGE
veja SISTEMA DE ESTOCAGEM POR GRAVIDADE

GROSS REQUIREMENT
veja NECESSIDADE BRUTA

GROSS SALES
veja VENDAS BRUTAS

GROSS WEIGHT
veja PESO BRUTO (EM TRANSPORTE)

GROUP TECHNOLOGY
veja TECNOLOGIA DE GRUPO

GROUPAGE CENTRE
veja CENTRO DE AGRUPAMENTO

GROUPING
veja AGRUPAMENTO

GUS CLASSIFICATION
veja CLASSIFICAÇÃO GUS

 

Fonte autorizada:
Sindiex - Sindicato do Comércio de Exportação e Importação do Estado do Espírito Santo