Notícias

Resumo de notícias da semana 33

Grupo Pinho
March 3, 2022

Cerca de 596 milhões de toneladas de cargas foram movimentadas nos portos brasileiros, no primeiro semestre

Em um novo levantamento realizado na última semana pela Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) a movimentação de cargas no setor portuário cresceu 9,4% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado. 

Segundo a agência, os portos organizados, terminais autorizados e arrendados movimentaram 591,9 milhões de toneladas no período.

O destaque foi o minério de ferro, que movimentou 171,8 milhões de toneladas, o que corresponde a um crescimento de 12% em comparação ao mesmo período de 2020. Em segundo lugar, veio o petróleo, cuja movimentação cresceu 8%, somando 97,2 milhões de toneladas.

As informações constam do painel Estatístico Aquaviário da Antaq.

Porto de Paranaguá bate novo recorde de operação de navios

Em menos de uma semana, o Porto de Paranaguá bateu recorde de movimentação da empresa de tráfego marítimo MSC Ajaccio ao receber o navio Yang Ming com capacidade para 12,7 mil TEUs (medida equivalente a um contêiner de 20 pés). 

O recorde anterior, foi referente a movimentação da embarcação. Com 3.549 movimentos, um único navio operou um total de 5.970 TEUs.

Vale lembrar que os contêineres são utilizados no transporte de 95% das cargas gerais movimentadas em navios pelo mundo. Hoje, a maior embarcação desse tipo no mundo tem capacidade de carga de 21.413 mil TEUs

Congestionamento de navios nos EUA causa atraso no transporte de mercadorias e altera preços para consumidores 

O maior canal de comércio dos Estados Unidos com a Ásia está congestionado Com o maior número de navios porta-contêineres desembarcando em mais de seis meses, o maior canal de comércio dos Estados Unidos com a Ásia está congestionado. 

Cerca de 37 navios estavam ancorados na última semana para atracar nos portos de Los Angeles e Long Beach, na Califórnia. A alta demanda, sendo o maior número desde o início de fevereiro, ameaça atrasar ainda mais o transporte de mercadorias, reduzir as margens de importadores americanos e aumentar os preços para consumidores.

A espera média por espaço para atracar está em 6,2 dias, em comparação com 5,7 no fim de junho, de acordo com dados do porto de Los Angeles. Esse número atingiu o pico aproximado de 8 dias em abril.

China fecha porto por Covid e causa engarrafamento de 350 navios

O fechamento de um terminal no terceiro porto de contêineres mais movimentado do mundo é o mais novo sinal de que uma nova turbulência no transporte marítimo mundial pode ocorrer. Tudo isso após um trabalhador testar positivo para a variante Delta de covid-19 e 2 mil portuários estarem em isolamento. 

Com uma fila de 350 navios, o preço do frete e o tráfego de embarcações foi afetado no local. As escalas estão sendo desviadas e o processamento das cargas está mais lento devido às medidas de desinfecção mais rígidas sob a política de “tolerância zero” do coronavírus da China.

Os principais grupos de transporte marítimo internacional alertaram seus clientes sobre atrasos e ajustes de rota. Pelo menos 14 navios operados pela CMA CGM, cinco navios Maersk e quatro navios Hapag-Lloyd decidiram pular Ningbo, enquanto dezenas de navios estão ajustando seus horários, segundo as empresas de navegação.

STF considera constitucional a redução de alíquota interestadual de ICMS para bens importados

Na última semana, o Supremo Tribunal Federal (STF) considerou constitucional uma resolução do Senado Federal que reduz as alíquotas interestaduais de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para bens importados.

Na resolução, o Senado fixou a alíquota interestadual do ICMS em 4% para bens e mercadorias de origem estrangeira, o mesmo valendo para bens industrializados no país com conteúdo de importação superior a 40%.
A norma anterior sobre o tema, a Resolução do Senado Federal 22, de 1989, havia fixado as alíquotas em 12% para os estados em geral e em 7% para casos especiais elencados na norma.

A partir dessa decisão, permanece o incentivo para as operações com mercadorias importadas. A expectativa é que se evite a disputa dos estados pela atratividade de incentivos fiscais, trazendo segurança jurídica aos consumidores e contribuintes.

Ex-tarifário: Governo vai zerar tarifa de importação de 322 máquinas e equipamentos industriais

Na última semana, o governo federal anunciou que vai reduzir a zero as tarifas de importação de 322 máquinas e equipamentos industriais sem fabricação nacional, através do programa ex-tarifário.

Esses bens seriam tributados entre 14% a 16%. Esses produtos serão utilizados em projetos que envolverão investimentos de US $3,169 bilhões, principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste do Brasil. Somente em importação de equipamentos serão gastos mais de US $453 milhões.

Os principais setores onde serão feitos os novos investimentos serão os de energia (67,95 %), bebidas (11,85%), bens de capital (6,10 %), alimentício (4,47%), e autopeças (2,54%).

Em entrevista para o jornal Gaúcha ZH, o Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, disse que é preciso implementar medidas que incentivem a retomada da atividade econômica. E nesse retomada, a redução dos custos será a prioridade, completou o ministro.

Fale conosco
Contact us

Entre em contato pelo formulário abaixo, logo iremos atendê-lo.
Send us a message.