Importação

6 dicas para montar um planejamento logístico

Alex Cardoso
February 5, 2020

O Brasil se mantém como uma das maiores economias globais e gera grande fluxo de comércio internacional, tornando-se cada vez mais comum a importação de produtos comercializados por empresas de diversas partes do mundo.

Vamos falar hoje sobre planejamento logístico. Confira a seguir seis dicas muito valiosas para você montar o seu plano e começar a importar com mais segurança.

1. Documentação

O comércio exterior tem uma legislação específica com amplas variações para cada tipo de produto a ser importado. Para conseguir passar em todas as etapas sem problemas, reúna todos os documentos necessários, faça uma checklist, confira e solicite o suporte da Receita Federal ou do seu parceiro logístico.

Se você fizer um bom planejamento dessa etapa, as demais serão bem mais fáceis de superar. Além do mais, os órgãos de fiscalização alfandegária são bastante simpáticos a empresas organizadas, que possuem boa reputação nesse aspecto e agilizam o desembaraço de suas mercadorias.

2. Fiscal

É importante estar atento à legislação fiscal brasileira para o tipo de produto que você deseja importar. Alguns desses itens possuem benefícios de isenção fiscal, e saber quais são pode gerar grande diferença no custo final.

Faça sempre esse estudo quando iniciar a negociação, pois só tem a ganhar. Vale a pena dedicar uma parte do seu tempo a essa etapa.

3. Financeiro

Caso pretenda financiar a sua importação por meio de operações de crédito junto às instituições bancárias, vale ressaltar que existem muitas que oferecem esse tipo de financiamento, inclusive bancos públicos, como o BNDES e o Banco do Brasil.

Diante desse fato, é relevante verificar quais deles oferecem opções mais flexíveis e taxas de juros mais baixas. Podem ser contratadas tanto no Brasil como nas respectivas representações internacionais das instituições. Existem variações de serviços com diferentes condições. Analise todas as variáveis e veja qual a melhor escolha, em vez de se limitar ao produto oferecido somente pelo seu banco.

4. Regimes aduaneiros

Os regimes aduaneiros são benefícios específicos concedidos ao importador com relação à aplicação de tributos, que podem ser utilizados para a carga em trânsito. Para requerer esse benefício, o importador precisa ter total controle do processo, pois o tempo de permanência da mercadoria no local de desembarque não pode ultrapassar 24 horas.

A documentação deve estar toda em ordem, e a carga tem de ser retirada o quanto antes por operador logístico habilitado pela Receita Federal. Desse modo, enquanto o produto não dá entrada no destino final, não é tributado, flexibilizando os prazos. Mais detalhes podem ser consultados na Instrução Normativa 262, de 2002.

5. Linha Azul ou OEA

Linha Azul é o regime especial concedido a operadores certificados que atendam a todas as exigências. A regulamentação sofreu alterações recentemente, após a publicação da Instrução Normativa RFB 1.624/2016, passando a se chamar OEA – Operador Econômico Autorizado.

Ao contratar empresas que detenham esse regime, você contará com diversos benefícios, como: dispensa de garantia de trânsito aduaneiro, canais de conferência com percentual reduzido, prioridade na conferência das declarações de importação.

6. Análise SWOT no planejamento logístico

A análise SWOT, também conhecida como FOFA, é uma técnica de administração desenvolvida entre 1960 e 1970 por Albert Humphrey, e tem a finalidade de identificar as forças, oportunidades, fraquezas e ameaças de determinada empresa.

Sua aplicação deve ser realizada por meio do cruzamento dos dados visando estabelecer objetivos estratégicos. Confira:

  • Aspectos fortes > oportunidades = estratégia de ataque (criação de diferenciais competitivos).
  • Aspectos fortes > ameaças = estratégia de confronto (visa estabelecer condições para alternância do ambiente em benefício da empresa).
  • Aspectos fracos > oportunidades = estratégia de reforço (fortalecer tais aspectos de modo a otimizar as oportunidades).
  • Aspectos fracos > ameaças = estratégia defensiva (aplicar reformulações intensas com o objetivo de proteger a empresa).

Faça esse exercício com a sua empresa com enfoque na logística e otimize os seus resultados.

Chegamos ao final das nossas dicas para o seu planejamento logístico. Esperamos que essas informações tenham sido úteis para você. Não esqueça de deixar o seu comentário dizendo o que achou e pergunte algo mais que deseje saber. Sua participação é muito importante.

PR

SP

SC

Onde estamos