Comex

KPIs para Comex: Quais são os Indicadores de Performance no Comércio Exterior

Grupo Pinho
March 3, 2022

Entender quais são os Indicadores de Performance no Comércio Exterior é essencial para redução de custos, de tempo de operação e da qualidade do serviço. E o mercado cada vez mais está em busca de profissionais de Comex que dominam o conhecimento sobre KPIs (Keys Performances Indicators).

Separamos 7 indicadores de performance no comércio exterior que precisam fazer parte da rotina de quem trabalha no setor.

7 KPIs para melhorar os processos de COMEX:

1. TEMPO DE ENVIO

O desempenho de Tempo de Envio refere-se à proporção de pedidos que foram enviados na data de envio solicitada ou antes dela, dividida pelo número total de pedidos.

Este é o primeiro KPI de logística para ajudá-lo a medir o desempenho da sua cadeia de suprimentos.

Na verdade, se o período de tempo entre o momento em que o cliente fez seu pedido e o momento em que o pedido está preparado para ser enviado for muito longo, isso pode apresentar alguns problemas no processo que precisam ser consertados.

Quer se trate de processos de planejamento desatualizados ou sistemas de execução desconectados muito lentos para enfrentar uma demanda crescente, os problemas precisam ser resolvidos para responder rapidamente a eventos inesperados.

Indicadores de Performance:

Depois de realizar um benchmark do tempo médio necessário para enviar um determinado tipo de pedido, você pode definir um tempo de envio alvo relativo a cada produto para ser alcançado.

2. PRECISÃO DO PEDIDO

A taxa de pedido perfeito é outra métrica de logística altamente importante. Ela mede a quantidade de pedidos que são processados, enviados e entregues sem nenhum incidente no caminho. Uma processo com 100% de precisão consegue:

  • Respeitar o tempo de envio.
  • Respeitar o tempo de entrega.
  • Enviar o pedido correto.
  • Enviar a mercadoria sem nenhum dano.

Essa métrica é importante porque mostra a eficiência de sua cadeia de suprimentos e serviços de entrega, e isso leva, claro, a clientes mais satisfeitos que estão dispostos a voltar ou recomendar seus serviços.

Indicadores de Performance:

Quanto mais alta for essa taxa, melhor para o seu negócio. Você perderá menos dinheiro com devoluções de mercadorias imprecisas ou danificadas e aumentará o nível de satisfação de sua base de clientes.

3. CUSTOS DE TRANSPORTE

Os custos médios de transporte calculam um total das despesas envolvidas no processamento de um pedido do início ao fim.

Ele dividirá todos os custos relacionados a esta KPI de logística de acordo com categorias distintas:

  • Processamento do pedido.
  • Administrativo.
  • Transporte do estoque.
  • Armazenamento.
  • Custos reais de transporte.

Depois de calcular esses pontos, você pode avaliar o percentual que cada etapa do processo representa e ver se isso é excessivo ou está dentro das normas.

Você também pode calcular os custos de transporte relativos a um produto e ver quanto custa um item em comparação com quanta receita ele traz para você.

Indicadores de Performance

O objetivo é diminuir os custos de transporte, mantendo uma alta qualidade de entrega.

4. PRECISÃO DO ESTOQUE

A Precisão do Estoque é uma daquelas métricas de logística que pode garantir muito sucesso ou quebrar seu armazém.

Na verdade, ter um determinado registro de todas as suas mercadorias em seu banco de dados que não corresponde ao inventário físico real pode prejudicar seu negócio como um todo.

Se o seu estoque for impreciso, isso pode levar a pedidos em atraso inesperados, mas também a clientes insatisfeitos e, de modo geral, custos gerais mais altos.

Uma verificação regular de inventário das discrepâncias existentes com seu registro de inventário eletrônico garante que as práticas de contabilidade estejam em ordem e que seu negócio seja confiável, evitando pesadelos de inventário fantasma.

Essa proporção também o ajudará a identificar problemas relacionados ao recebimento, ao envio ou à contabilidade.

Indicadores de Performance:

É normal haver algumas disparidades entre o registro e a armazenagem, mas a ideia é manter essa proporção acima de 92% tanto quanto possível.

5. LEAD TIME: TEMPO MÉDIO DO CICLO DE VIDA DO PEDIDO

O período decorrente desde a inclusão da ordem de venda no sistema até o momento da entrega para o cliente é o que chamamos de Lead time do pedido.

Tal indicador ajuda a identificar etapas que causam demora e outros gargalos capazes de comprometer a eficiência dos processos e aumentar o risco de atrasos.

Mais completo e preciso que a avaliação apenas do transit time da transportadora, o acompanhamento desse KPI logístico aponta para morosidades não necessariamente ligadas à atividade de transporte — que devem, portanto, ser tratadas internamente.

Indicadores de Performance:

Ao identificar o Lead Time, você terá em mãos os dados para entender onde você precisa focar na melhora dos processos. Exemplo: se há uma demora na inclusão da ordem de venda no sistema, consegue definir com o setor responsável as melhorias que precisam ser feitas para diminuir esse tempo - e o melhor, com dados mostrando que é ali o problema.

6. TRANSIT-TIME

Já nessa KPI, medimos o tempo que sua carga está em trânsito.

O Transit Time ou tempo de trânsito da carga tem como foco mensurar e analisar o tempo que leva para o seu embarque.

Para isso, é fundamental realizar uma comparação entre o que o provedor logístico apresentou antecipadamente com o que está realmente sendo realizado.

Assim, você confirma se a carga está sendo embarcada no tempo combinado ou saber onde estão ocorrendo os gargalos.

7. ON TIME, IN FULL (OTIF)

Esse indicador permite medir a operação pela ótica do consumidor, algo que normalmente muitos têm dificuldades de acompanhar. Justamente por isso, também é um dos principais indicadores de desempenho logístico e um dos mais indispensáveis para a gestão de supply chain.

Esse KPI mensura a eficácia dos prazos atendidos (on time) e a eficiência dos demais processos de atendimento (in full), que significa que a entrega foi concluída de acordo com as expectativas do consumidor.

Para analisar o OTIF de forma correta, é indicado seguir alguns fatores importantes. São eles:

  • Ter horários e data do pedido;
  • Ter uma previsão exata da entrega para o consumidor (quando se trabalha com sistemas de rastreamento de carga, isso se torna ainda mais fácil);
  • Manter sempre atualizado o registro de OTIF.

Uma das formas de calcular o OTIF é a partir da seguinte equação: OTIF (%) = número de entregas OTIF / número total de entregas X 100.

Para quem busca aperfeiçoar seus conhecimentos para trabalhar com mais precisão no mercado de Comércio Exterior, o Grupo Pinho - através da Academia Pinho, oferece o Curso Completo de Importação.
CLIQUE AQUI PARA SABER MAIS
Fale conosco
Contact us

Entre em contato pelo formulário abaixo, logo iremos atendê-lo.
Send us a message.